A aventura dos Descobrimentos portugueses

O Instituto Camões, nesta fase de renovação de conteúdos pela que atravessa há já alguns tempos, oferece agora uma outra coleção de livros do Expresso em formato digital, para ler e ouvir,  motivador e atrainte,  “A aventura dos Descobrimentos“, para uma aproximação lúdica à história de Portugal. Uma fantástica viagem pelos melhores percursos históricos portugueses:

A aventura dos Descobrimentos

  • À conquista de Ceuta.
  • Madeira, terra à vista.
  • Açores, as nove ilhas do Atlântico.
  • Bojador, o fim do mundo.
  • Andando pela costa de África.
  • Das Tormentas à Esperança.
  • Os donos do mundo.
  • Índia, terra das cores e dos sabores.
  • Brasil, a terra de Vera Cruz.
  • Japão, terra do Sol Nascente.
  • Rota da India.
  • Os portugueses, Macau e a China.

As ilustrações são de André Letria e a música de José Afonso.

Ver também a coleção “Era uma vez um rei“.

A hora do conto

Já contamos no blogue com outras entradas para os contos, onde comentamos sites tão interessantes como os já clássicos História do dia, ou o podcast colaborativo Era uma vez…, (sites portugueses); Almira Zulmira, ou O mundo encantado de Cecília Meireles (sites brasileiros). Na secção de TEMAS DESTE BLOGUE, categoria Contos. podem encontrar todas as entradas dedicadas a este tema.

Deixamos links a outros sites onde entrar em contacto com o mundo da fantasia e dos contos:

Os clássicos em português de Portugal

  • Histórias. 24 Contos clássicos com ilustrações e áudio (A Gata Borralheira, Os Sete Cabritinhos, A Ponte da Harmonia, A Polegarzinha, A Rosa Azul, O Isqueiro Mágico, A Casinha de Chocolate, A Raposa e as Uvas, A Rapunzel…). No sítio da Junior PT.
  • Era uma vez…: Contos clássicos interactivos desenvolvidos pelo Centro de Competência Nónio da ESSE de Santarém.
  • No mundo das fábulas: 32 Fábulas de Esopo, Fedro e Jean de la Fontaine para ler e ouvir em português.
  • Contos de Charles Perrault: A Bela Adormecida, A Gata Borralheira, As Fadas, O Gato das Botas, Riquete do Topete também para ler e ouvir.
  • Contos de Hans Cristian Andersen: A Borboleta, A Família Feliz, A Menina dos Fósforos, A Polegarzinha, A Princesa e a Ervilha, As Flores de Ida, O Bule, O Caracol e a Roseira, O Colarinho Postiço, O homem de neve, O Isqueiro Mágico, o Patinho Feio, O Rouxinol, O Valente Soldadinho de Chumbo e os Verdinhos.
  • Contos de Grimm: O Capuchino Vermelho, O Ganso de Ouro, O Príncipe Sapo, Os Músicos de Bremen, Os Sete Corvos.
  • Alice no País das Maravilhas: Explora esta história através de extractos «para ler, ver e ouvir» e de jogos/actividades. Contém um roteiro de exploração do site para professores e encarregados de educação e uma secção de links para sites sobre a história ou sobre o seu autor.
  • Histórias do Capuchino Vermelho e de lobos bons: uma maneira diferente de ler o conto tradicional.
  • Pedro e o lobo no sítio Histórias de Palmo e Méio no Cantinho da Música.

Outros:

Português do Brasil:

Contos para descarregar:

  • No site Virtual Books Online é possível descarregar em formato pdf vários clássicos da literatura infantil (O Pequeno Polegar, Aladino e a Lâmpada Maravilhosa, o Patinho Feio, etc).
  • A borboleta azul, de Lenira Almeida Heck, com belas ilustrações.
  • A bruxa e o caldeirão, de José Machado, no Projecto Vercial., tambiém ilustrado.
  • O rato e o leão: conto chinês em nove línguas que transmite valores de respeito e colaboração. Pode ser trabalhado com crianças e jovens para debatir sobre as línguas que conhecem (as faladas em cas, na escola, o bairro, os tipos de alfabeto, a relação língua e cultura, a situação das línguas em contacto, a globalização… Pode ser um ponto de partida para jogos de colaboração ou de trabalho em equipa com os mais pequenos. (Aula intercultural).

Contos para colorir

Actividades sobre contos

Vídeos

CONTOS EM DIAPOSITIVOS

Imagens

  • Galeria de imagens para ilustrar contos: página em inglês com lindissimas ilustrações que podem ser usadas para criar contos ou animar narrações em português.
  • Imagem do blogue “O vago de Oz”

O meu passaporte

Nível: A1 (Quadro de Referência Comum Europeu)

Destinatários: Jovens e adultos.

Objectivos:

  • Identificação (nome, apelido, nacionalidade).
  • Praticar os números, as cores, os meses do ano…
  • Descrever o aspecto físico das pessoas.

Gramática:

  • Verbos de identidade (chamar-se, ter, ser…)

Funções:

  • Fazer perguntas sobre a identidade e responder
  • Falar do aspecto físico das pessoas.

Habilidades: Expressão oral e escrita; compreensão auditiva e leitora.

Processo: Em grupos de 2 alunos, um estudante representa o papel de polícia de alfândega e o outro de turista. O objectivo é preencher um passaporte. Devem perguntar pelos dados solicitados e escrever as respostas. Depois podem trocar os papeis.

Materiais:
Ficha passaporte

Ideia original de Agustín Yagüe

Brasil

Para professores EJA:

Era uma vez um rei… Centro Virtual Camões

O Centro Virtual Camões há algum tempo que renovou os conteúdos antigos e criou novas seções de grande interesse para os professores de português língua estrangeira. Desta vez ocupam-se dos mais pequenitos, e oferecem a versão digital da colecção do ExpressoEra uma vez um rei“. São histórias dos reis de Portugal adaptadas ao público infantil como se fossem contos, acompanhados de belas ilustrações, áudio, e canções, o que converte este recurso em magníficos audolivros. Muitos parabens ao CVC pela iniciativa!

Também é possível realizar um teste sobre Afonso Henriques elaborado pelo IC.

Ir ao livro digital A aventura dos Descobrimentos

Recursos para atender a diversidade linguística na escola

Português Língua Não Materna no Currículo Nacional (MEC Portugal).

________________________

RECURSOS DGIDC:

Diversidade Lingüística na Escola Portuguesa é um projecto que dá resposta às mudanças sofridas pela sociedade e a escola portuguesa perante o grande número de alunos de origem estrangeira (provenientes dos mais diversos países), com ou sem desconhecimento do português. O projecto de investigação para atender à diversidade linguística das escolas portuguesas baseou-se nos seguintes objectivos:

  • sensibilizar a comunidade escolar para a riqueza do multilinguismo na escola;
  • valorizar as línguas maternas dos alunos;
  • criar linhas de orientação, bem como alguns materiais, capazes de melhorar a competência em língua portuguesa dos alunos de outras línguas maternas.

Documentação complementar:

Foi desenvolvido pelo Instituto de Linguística Teórica e Computacional (ILTEC), uma associação privada sem fins lucrativos cujos associados são a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, a Universidade de Lisboa e a Universidade Nova da Lisboa.

Como resultado do projecto, foram lançados dois CD (o CD1 os primeiros resultados do Projecto; o CD 2 com diferentes materiais para tratar a diversidade linguística: textos de formação, avaliação do nível de português, exercícios para o ensino do Português Língua Não Materna, listas de vocabulário multilingues, etc.).

Exemplos de actividades

Actidades interactivas:

  • Exercícios de vocabulário (festa de aniversário, pôr a mesa, higiene diária, roupa nova, limpar a casa).
  • A casa. Partes da casa, mobília, alimentação, bebidas (em português, crioulo de Cabo Verde, Guzerate, Mandarim e Ucraniano).


_________________________

PORTUGUÉS PARA TODOS

Portugues para todos é um espaço criado para a inclusão. “Na sala de aula, em português, deve haver espaço para exercícios e actividades diferenciados. As novas tecnologias à disposição da fantasia de professores e alunos marcam a diferença na elaboração de materiais didácticos mais adequados a situações de multilinguismo”.

O sítio fornece materiais didácticos para português como língua estrangeira para vários níveis (elementar, independente, proficiente).

Especial Portugal

¿Qué tendrá este Portugal -pienso- para así atraerme? ¿Qué tendrá esta tierra por de fuera riente y blanda, por dentro atormentada y trágica? Yo no sé, pero cuanto más voy a él, más deseo volver.

Miguel de Unamuno

Actividades para conhecer Portugal:

  • Fichas (I) e Fichas II da Junior PTI (rios, reis de portugal, presidentes, monumentos, festas, história, personagens famosas…).
  • Distritos de Portugal (actividade interactiva em flash, Junior PT)
  • Percursos virtuais por cidades de Portugal. Centro Virtual Camões.
  • Portugal 360º (tour fotográfico pelas cidades e monumentos mais importantes de Portugal; mapas interactivos em flash de distritos, cidades; plantas de monumentos mostrados em imagens panorámicas de 360º, etc.)

Podcast

Na voz de Eduarda Costa

Viagem de Vasco da Gama e outros recursos

Na linha do site de História de Portugal descrito numa entrada anterior deste blogue apresentamos nesta ocasião uma aplicação interactiva muito interessante sobre a Viagem de Vasco da Gama, ilustrada para crianças e com som, mas também muito agradável para os adultos conhecerem de uma forma atraínte a epopéia deste navegante português. Foi elaborado no 2004 pelo Centro de Competência Nónio Séc. XXI da ESE de Santarém.

Outros trabalhos da ESE de Santarém:

  • Eu sei: um portal de jogos e actividades (38 tipos diferentes) para todas as áreas/disciplinas do 1º e do 2º ciclos do Ensino Primário e para o Jardim de Infância
  • Uma aventura na União Europeia: confronta os alunos com situações de pesquisa e selecção de informação na Internet que lhes permitem um melhor conhecimento dos Países e dos povos da União Europeia (Europa dos 15). Os participantes que concluírem com êxito esta aventura poderão adicionar o seu nome a um «Hall of Fame».
  • Bioquest: propõe actividades de reflexão sobre questões controversas actuais relacionadas com a ciência e a tecnologia.

Aprender português com podcast

Um podcast é um arquivo de som, normalmente em formato mp3, que pode ser descarregado da Internet ou que nós próprios podemos gravar no computador com programas como o Audacity e outros dispositivos. O termo foi criado em 2004 pelo jornalista Ben Hammersley, nas páginas do jornal britânico The Guardian, quando misturou os termos “pod” (contração da locução portable device, que significa reproductor portátil) e broadcasting (difusão).

Seria muito interessante ver o uso didático dos podcast na sala de aula, podcast feitos pelos professores para os seus alunos. Mas neste artigo falaremos só dos podcast feitos por particulares ou instituições para aprender línguas.

Os podcast estão a mudar o ensino de línguas estrangeiras. É um modelo de ensino muito conectado com o estilo de vida actual: língua oral (apoiada na maior parte dos casos pelos textos), produzida por falantes nativos que falam de maneira natural e real, ao contrário dos métodos das editoras, criados artificialmente. Podem ser ouvidos a qualquer momento e muitas vezes permitem o contacto com as pessoas que os elaboram. A maioria são gratuitos, ou pelo menos mais baratos do que os cursos tradicionais.

O número de podcast destinado a ensinar línguas cresce cada dia, em todas as línguas, mesmo as menos faladas (ver Podbean). Será o podcast o futuro do ensino das línguas?

Há também desvantagens, porque estas páginas não permitem a interação e podem (e em muitos casos é mesmo assim) ser feitas por não profissionais, com uma metodologia desfasada, baseada na repetição de léxico e estructuras. No entanto, sempre podem servir como reforço. Já algumas instituições públicas como o Goethe-Institut ou o British Council começaram a aproveitar estes canais com fins didáticos.

EXEMPLOS EM PORTUGUÊS

PODCAST EDUCATIVOS

PODCAST DE INTERESSE:

Ver com outro olhar: as cores na pintura de Tarsila do Amaral

Nível: A2 / B1 (Quadro de Referência Comum Europeu).

Destinatários: jovens e adultos.

Objectivos:

  • Familiarizar-se com o uso das preposições e dos advérbios mais comuns do português, associados nesta actividade à sua relação com o espaço. A actividade pode ser usada também com as perífrases de obrigração.
  • Praticar as cores.
  • Conhecer a obra de Tarsila do Amaral.

Habilidades: Expressão oral/ Compreensão auditiva/ Interacção entre iguais.

Funções: Pedir e dar direções de espaço, orientar-se no espaço.

Processo: Trabalhar em grupos de quatro. Dois dos membros ficam com o desenho original e os outros dois com o desenho a preto e branco para colorir. O primeiro grupo dá instruções para os outros fazerem o desenho da maneira mais parecida ao original. A actividade pode ter vários finais: o grupo que acabar mais cedo, o grupo que segundo o critério geral fizer o desenho mais bonito ou mais parecido ao original.

A única regra que os estudantes devem cumprir é que não podem dizer o nome do objeto que os colegas têm que desenhar (para isso podem nomear-se árbitros que ouçam atentamente as conversas e determinem se as equipas cumprem a regra.

Os estudantes terão de utilizar estructuras preposicionais e/ou adverbiais de localização no espaço: “- Numa das casas há um espaço rectangular azul. – Na casa da parte direita?” Também para facilitar a interação, o grupo que está a desenhar pode perguntar a cor das coisas (sem nomeá-las). Para isto há que trabalhar primeiro as preposições e os advérbios de lugar (orientação no espaço), por exemplo, fornecer uma lista de preposições e advérbios e fazer uma actividade simples: esconder objectos na sala de aula e os alunos têm de os descobrir através das indicações dos colegas.

O facto de proibir os termos aumenta os recursos da descrição, as estratégias léxicas (aprender a nomear coisas das que não se conhece o nome), a expansão sintáctica (especialmente o uso de adjectivos e as orações de relativo).

Nível elementar: permitir aos estudantes dizer o nome do objeto.

Duração: Quinze minutos, aproximadamente, segundo o nível dos estudantes.

Materiais:

A partir desta actividade os estudantes podem estar motivados para conhecer o nome das pinturas e quem sabe se se interessam por aprofondar na figura desta pintora modernista brasileira. Deixamos alguns endereços muito interessantes para continuar a trabalhar com Tarsila:

Ideia original: Agustín Yagüe

Actividades didácticas com outros artistas:

Olhos que (não) vêem… Actividade de prática oral

Nível: A1 (Quadro de Referência Comum Europeu)

Destinatários: crianças, jovens e adultos.

Objectivos:

  • Soletrar.
  • Praticar vocabulário básico.

Gramática:

  • Imperativos.
  • Interrogativos.

Habilidades: Expresssão oral / Compreensão auditiva / Interacção entre iguais.

Funções: Perguntar informações e responder.

Processo: Forman-se equipas de quatro estudantes, situados no fundo da sala, de costas para o quadro. Um deles é escolhido pelo grupo e situa-se em frente do quadro onde o professor ou a professora pendurou um cartaz com as palavras desordenadas. A uma certa distancia, o estudante deverá soletrar o que vier aos seus colegas, com critérios como os seguintes:

Os seus colegas, sempre de costas, devem escrever as letras e reconstruir a palavra. Se o conseguirem num dado tempo, obtêm 3 pontos por cada palavra adivinhada. Por forma a praticar os números, cada equipa tem de controlar o seu próprio marcador (se o professor/a desejar praticar outros números, pode indicar outros valores às multas. Podem ser os alunos quem preparem novas fichas para as outras equipas da aula.

Material: Fichas cartazes.

Soluções:

  • elefante, galinha, baléia, canguru, porco
  • chocolate, bacalhau, manteiga, queijo, azeitonas

Actividade de Agustín Yagüe

Actividades de vazio de informação – Exemplo Florbela Espanca

É uma actividade de prática controlada realizada normalmente por dois alunos/as. Os alunos dispõem de um texto onde há que preencher espaços. Trata-se de obter a informação do parceiro, porque os vazios são complementares, e assim praticar a interacção oral.

Esta actividade pode realizar-se com textos não muito extensos de temas variados (uma leitura, uma tabela estatística, uma explicação gramatical ou novo vocabulário. Os objectivos deste tipo de actividades dependem do conteúdo da aula ou do nível dos alunos. Para os de nível básico, elaborar perguntas é um exercício interessante. Para os níveis mais avançados, pode-se adaptar a uma explicação gramatical ou uma apresentação de vocabulário de maneira mais atraente.

falar.jpg

Como exemplo, fichas para trabalhar a biografia de Florbela Espanca, poetisa  alentejana do século XIX e os tempos do passado (nível B2, destinatários: jovens e adultos).

Esta actividade pode ser completada neste podcast com textos autobiográficos e uma antologia de sonetos.

Actividades OUVIR/ DIZER

Actividade de prática controlada para realizar em grupos pequenos ( 2, 3 ou 4 alunos). O objectivo é comunicar-se de uma maneira precisa. Cada aluno tem um cartão com duas colunas. Deverá dizer os elementos da coluna direita e dar atenção aos outros alunos, que dirão o que há na coluna esquerda dos seus cartões respectivos.

 

Aluno A: “Vinte e cinco”
Aluno B: “Cem”
Aluno A: “Quarenta e quatro”
Aluno B: “Mil e quinhentos”
Aluno A: “Seis mil e oitocentos”
etc.

IH Madrid 

Bingo!!! As partes do corpo (I)

ível: A1 (Quadro de Referência Comum Europeu)

Destinatários: Jovens e adultos.

Objectivos:

  • Revisar o léxico das partes do corpo humano.

Processo: Para revisar de uma maneira lúdica o vocabulário do corpo, podemos usar o famoso jogo do bingo, com a dinâmica já conhecida.

Materiais: Disponibilizam-se fichas que servem como cartões para o jogo.

Fichas originais em espanhol

Ver também AS PARTES DO CORPO HUMANO (II)

Método Glenn Doman (II)

Há algumas semanas falamos do método de leitura Glenn Doman, que estimula a aprendizagem da leitura nas crianças desde os primeiros meses de vida, e do material interactivo criado pelos assessores do CPR de Mérida (Badajoz) para pôr em práctica o método. Como novidade, na página do CPR de Mérida já está disponível a versão em português para ser descarregada e usá-la no computador sem estar conectados na Internet. Neste site também estão disponíveis os ficheiros em espanhol e inglês.

Este material também pode ser usado noutras etapas para reforçar a aprendizagem do vocabulário.

Na página inicial do CPR de Mérida, no menu da esquerda, encontrarão os links para duas seções:

  • Método Glenn Doman, com toda a fundamentação teórica que explica como fazer para usar este método, de indispensável leitura.
  • Descargar Docs, onde se disponibilizam diversos arquivos, entre eles o método para o espanhol, o português e o inglês.

Links relacionados:

Vídeos de Youtube para o nível inicial de português

Youtube permite criar contas onde podemos organizar os videos por temas. Eis a página de Músicas para crianças, uma seleção de vídeos com músicas onde podem aprender desde fazer perguntas com “8 anos” de Adriana Calcanhoto a cantar o alfabeto e aprender montes de palavras ou divertir-se com Pocoyo em português. E outra página, onde aparece uma lista de vídeos interessantes para o nível inicial de português. O formato de vídeo da Internet facilita o uso, são fragmentos de vídeos de corta duração que permitem uma fácil exploração. Criar uma lista como esta, adecuada aos nossos níveis e interesses é fácil. Só há que registar-se em Youtube e ir criando a nossa própria “antologia”. É uma boa maneira de criar hábitos colaborativos e de partilhar os recursos. Teachertube é a versão educativa de Youtube.

Para usar vídeos da Internet na sala de aula NÃO é preciso estar na Internet. Há programas que permitem descarregar os vídeos e usá-los:

Vídeos Portugal

Vídeos Brasil

ARTIGOS:

O vídeo é um excelente recurso para praticar a compreensão oral. As maneiras de usá-los são variadas. No seguintes artigo podemos ver como trabalhar com o vídeo na aula de idiomas.

O dominó dos números

Nível: Inicial – A1

Destinatários: CriançasDominó

Objetivos gramaticais:

  • Apresentação dos números de 1 a 20.
  • Repasso do vocabulário da sala de aula.
  • O número do sustantivo.

Habilidades:

  • Compreensão oral, expresão oral

Duração:

  • De 20 a 30 minutos.

Material:

Procedimiento:

  • O profesor distribui a ficha de associação de vocabulário com as suas etiquetas. Em teoria, os alunos ja conhem este léxico e é presentado como actividade de repasso.
  • A seguir, formam-se grupos na aula e distribuem-se as fichas de dominó.
  • No quadro, o professor escreve os números de um a 20, mas sem os nomes. Escolhemos a primeira ficha (por exemplo: os desenhos de dez livros numa parte e o texto duas borrachas pela outra). Como é possível que os alunos não recohheçam a forma escrita duas, deveriam brincar a partir da parte dos objetos da sala de aula que ja conhecem. Os números novos que vão surgindo são escritos pelo professor no quadro.

Adaptado ao português de TODOELE

VER Os números en português (1-20)

O Método Glenn Doman também em português

O Método Glenn Doman estimula a aprendizagem da leitura nas crianças desde os primeiros meses de vida. Foi desenvolvido na década de 50 por Glenn Doman, fundador e presidente dos Institutos para o Desenvolvimento do Potencial da Filadélfia (EUA). Os estímulos que recebem as crianças de zero a seis fazem com que progridam mais rapidamente e com grande qualidade.

Ler mais no Jornal de Notícias da Secretaria de Estado de Saúde do Brasil.

Três assessores do Centro de Professores de Mérida (Badajoz) há vários anos que trabalham com este método e elaboraram o Método Glenn Doman para o espanhol e o inglês. Mas agora a novidade é que também pode ser usado em português de Portugal. Diego Guerrero, Santiago Ortiz e Antonio Vega não descartam a possibilidade de fazer uma versão do português do Brasil, é só encontrar uma voz que leia as palavras. O método em inglês e espanhol pode ser usado online e também descarregado. O método em português por enquanto só pode ser consultado online, mas breve será disponibilizado também para descarregar.

Na era do plurilinguismo, as crianças podem aprender a ler em várias línguas diferentes, não é uma maravilha? Vejam este vídeo, tendo em conta que os materiais criados pelos assessores menos são menos “caseiros”.

Links relacionados:

Estúdio Raposa

Uma recomendação para este ano de 2008, não deixem de por nos seus favoritos este Audioblog de Luis Gaspar, um gigantesco audiolivro para ouvir a melhor literatura portuguesa e de outros países. Ouçam alguns exemplos:

Palavras de Ouro 74

Ao iniciar este programa, e não vos sei dizer porquê, tenho a impressão de que este “Palavras de Ouro” vai ser diferente. É só um pressentimento. Para já, para já, vamos começar como já aconteceu em muitos outros programas: com uma lenda que nos chega da Índia e por aqui nada de diferente, antes pelo contrário. Em seguida ouviremos poesia de António Lobo Antunes (exactamente, o escritor), de Ana Luísa Amaral, de António Ramos Rosa e finalmente um poema do poeta brasileiro José Guilherme de Araújo Jorge. A música que dá brilho à lenda é de Luís Pedro Fonseca.

Diario de um Louco Cap.1

Nikolai Vassiliévitch Gogol-Yanovksi, conhecido com Nikolai Gógol é um grande escritor russo, cujas peças, contos e novelas estão entre as obras primas da literatura russa do sec. XIX. É considerado ao nível de outros gigantes das letras russas, como Tolstoy, Trugenev, Dostoyevsky e do poeta Pushkin. Reconhecido pela sua enorme capacidade de desenhar retratos humanos, pela simpatia para com os ofendidos e humilhados, a indignação contra as injustiças.“Diário de um Louco” não será dos seus livros mais apetecidos, é até esquecido em muitas das referências à sua produção literária, mas é a obra que o Estúdio Raposa seleccionou para mais uma experiência de produção de um livro sonoro.

Adivinhas

Adivinhas. Uma recolha da Escritora Luísa Ducla Soares