Aprender português com podcast

Um podcast é um arquivo de som, normalmente em formato mp3, que pode ser descarregado da Internet ou que nós próprios podemos gravar no computador com programas como o Audacity e outros dispositivos. O termo foi criado em 2004 pelo jornalista Ben Hammersley, nas páginas do jornal britânico The Guardian, quando misturou os termos “pod” (contração da locução portable device, que significa reproductor portátil) e broadcasting (difusão).

Seria muito interessante ver o uso didático dos podcast na sala de aula, podcast feitos pelos professores para os seus alunos. Mas neste artigo falaremos só dos podcast feitos por particulares ou instituições para aprender línguas.

Os podcast estão a mudar o ensino de línguas estrangeiras. É um modelo de ensino muito conectado com o estilo de vida actual: língua oral (apoiada na maior parte dos casos pelos textos), produzida por falantes nativos que falam de maneira natural e real, ao contrário dos métodos das editoras, criados artificialmente. Podem ser ouvidos a qualquer momento e muitas vezes permitem o contacto com as pessoas que os elaboram. A maioria são gratuitos, ou pelo menos mais baratos do que os cursos tradicionais.

O número de podcast destinado a ensinar línguas cresce cada dia, em todas as línguas, mesmo as menos faladas (ver Podbean). Será o podcast o futuro do ensino das línguas?

Há também desvantagens, porque estas páginas não permitem a interação e podem (e em muitos casos é mesmo assim) ser feitas por não profissionais, com uma metodologia desfasada, baseada na repetição de léxico e estructuras. No entanto, sempre podem servir como reforço. Já algumas instituições públicas como o Goethe-Institut ou o British Council começaram a aproveitar estes canais com fins didáticos.

EXEMPLOS EM PORTUGUÊS

PODCAST EDUCATIVOS

PODCAST DE INTERESSE:

Anúncios

Olhos que (não) vêem… Actividade de prática oral

Nível: A1 (Quadro de Referência Comum Europeu)

Destinatários: crianças, jovens e adultos.

Objectivos:

  • Soletrar.
  • Praticar vocabulário básico.

Gramática:

  • Imperativos.
  • Interrogativos.

Habilidades: Expresssão oral / Compreensão auditiva / Interacção entre iguais.

Funções: Perguntar informações e responder.

Processo: Forman-se equipas de quatro estudantes, situados no fundo da sala, de costas para o quadro. Um deles é escolhido pelo grupo e situa-se em frente do quadro onde o professor ou a professora pendurou um cartaz com as palavras desordenadas. A uma certa distancia, o estudante deverá soletrar o que vier aos seus colegas, com critérios como os seguintes:

Os seus colegas, sempre de costas, devem escrever as letras e reconstruir a palavra. Se o conseguirem num dado tempo, obtêm 3 pontos por cada palavra adivinhada. Por forma a praticar os números, cada equipa tem de controlar o seu próprio marcador (se o professor/a desejar praticar outros números, pode indicar outros valores às multas. Podem ser os alunos quem preparem novas fichas para as outras equipas da aula.

Material: Fichas cartazes.

Soluções:

  • elefante, galinha, baléia, canguru, porco
  • chocolate, bacalhau, manteiga, queijo, azeitonas

Actividade de Agustín Yagüe

Actividades de vazio de informação – Exemplo Florbela Espanca

É uma actividade de prática controlada realizada normalmente por dois alunos/as. Os alunos dispõem de um texto onde há que preencher espaços. Trata-se de obter a informação do parceiro, porque os vazios são complementares, e assim praticar a interacção oral.

Esta actividade pode realizar-se com textos não muito extensos de temas variados (uma leitura, uma tabela estatística, uma explicação gramatical ou novo vocabulário. Os objectivos deste tipo de actividades dependem do conteúdo da aula ou do nível dos alunos. Para os de nível básico, elaborar perguntas é um exercício interessante. Para os níveis mais avançados, pode-se adaptar a uma explicação gramatical ou uma apresentação de vocabulário de maneira mais atraente.

falar.jpg

Como exemplo, fichas para trabalhar a biografia de Florbela Espanca, poetisa  alentejana do século XIX e os tempos do passado (nível B2, destinatários: jovens e adultos).

Esta actividade pode ser completada neste podcast com textos autobiográficos e uma antologia de sonetos.

Curso de português (ensino primário) no Scribd

Scribd é uma interessante aplicação da Web 2.0 que permite alojar e partilhar arquivos de diferentes tipos. Muitos docentes fazem uso do Scribd ou como armazem ou como plataforma colaborativa ou como espaço de ensino/aprendizagem.

Encontramos materiais muito úteis, como estas unidades didácticas de português para chineses, de nível básico, que podem ser usadas perfeitamente também com alunos e alunas de outras origens.

cursoportugues.jpg

Excursões didácticas – Trabalhos de projecto

Foi demostrado que uma das melhores prácticas de aula para desenvolver as competências são os os trabalhos de projecto. Num projecto, os alunos realizan sequências didácticas à elaboração de um producto final, ou seja, as actividades ganham sentido e aumenta a motivação. As TIC podem integrar-se enquanto o projecto é desenvolvido (para procurar a informação, tratá-la, classificá-la, organizá-la..). ou como producto final. Por exemplo, os alunos podem fazer como producto um mapa online (Geotagging, Google maps, Panoramio, FlickrFly, Tagzania, Zooomr, GMiF- etc. ou por méio de fotoblogues que os integram, como o recém-nascido Nirudia.

Actividades OUVIR/ DIZER

Actividade de prática controlada para realizar em grupos pequenos ( 2, 3 ou 4 alunos). O objectivo é comunicar-se de uma maneira precisa. Cada aluno tem um cartão com duas colunas. Deverá dizer os elementos da coluna direita e dar atenção aos outros alunos, que dirão o que há na coluna esquerda dos seus cartões respectivos.

 

Aluno A: “Vinte e cinco”
Aluno B: “Cem”
Aluno A: “Quarenta e quatro”
Aluno B: “Mil e quinhentos”
Aluno A: “Seis mil e oitocentos”
etc.

IH Madrid 

Conhecer a turma

Regras do jogo

1. Cada um escreve, numa folha solta, um pequeno anúncio em que se dá a conhecer, fornecendo pistas que ajudem à sua identificação.
– Os anúncios devem ser escritos com letra legível.
– As pistas devem permitir uma fácil identificação do autor.
– Os anúncios não podem ser assinados.
– Só devem escrever o vosso nome no verso da folha.

2. Todas as folhas são dobradas, metidas num envelope e colocadas numa caixa.

3. Um a um, seguindo a ordem por que estão sentados, todos os alunos retiram um anúncio e lêem-no em voz alta para toda a turma.

4. Quando alguém considera que identificou o colega, levanta a mão e diz o nome em voz alta.

5. Quem está a ler vira a folha e verifica se a resposta está correcta.

6. No final do jogo, todos os anúncios são colocados num placard, juntamente com os Bilhetes de Identidade (Identificação 1).

ANÚNCIO
Tenho __________ anos.
Fisicamente sou ______________________________________________
____________________________________________________________.
Julgo ser uma pessoa __________________________________________.
Gosto de ________________________________________________, mas
embirro com _________________________________________________.
O meu sonho é ser ___________________________________________.
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________

In Site Junior – Escolinha